domingo, 15 de julho de 2007

das realidades




Finalmente você se foi

Alívio

Ao ouvir a chave girar

Sinto que retomei as rédeas




Muito bem garota, agora sou eu e você


...

Logo depois, finda-se a graça
Uma incontrolável vontade de chorar


sei que você me perderá numa esquina
num olhar
em um boteco qualquer


Depois de muito segurar
Desisto e Deixo o pranto me tomar
Até cansar e dormir
Desmaiar


sonhar que quando acordar você estará de volta



Não estava



....................


nesse mundo dito real
deduzo que a única verdade que conheço
é a dor
que me aperta o peito


Sua presença é sempre assim tão palpável
Sua presença e a ausência de mim

Já é quase dia
Mas pouco me importa
Eu não amanheço mais

Um comentário:

Byra disse...

Eu nao amanheço mais...ler isso as 04.53h, putz! Que bonito.
Muito bom o seu blog.
abs
Byra Dorneles